sábado, 22 de outubro de 2011

Probióticos 2: Conservas de vegetais, de frutas & bebidas vegetais lactofermentadas

Conservas de vegetais

A maior parte dos vegetais serve para fazer conservas: repolho,
pepino, cenoura, gengibre, nabo, rabanete, beterraba, gengibre,
cebola, cebolinha, alho, abobrinha, quiabo, maxixe, folha de
uva, couve-chinesa e muitos outros. Temperinhos tradicionais
para conservas: cravo, cardamomo, canela, alho, gengibre, pimentas,
ervas aromáticas, sementes de cominho, coentro,
mostarda, zimbro. Invente, experimente!

no missô
Encha um pote de louça ou cerâmica com missô até a metade
e coloque lá dentro cenourinhas, nabos, pepino japonês ou
pequeno (cornichon) em pedaços. Feche com um filó. Depois
de 5 dias pode guardar na geladeira e começar a comer.

em salmoura
2 litros de água sem cloro
100g de sal

Logo cedo aqueça a água até quase ferver; apague o fogo, misture
o sal e deixe esfriar.

Prepare os vegetais, lavando e cortando como quiser, se quiser
cortar, e coloque nos vidros de boca larga, sozinhos ou misturados,
com temperos ou não.

Quando a salmoura estiver fria, cubra com ela os vegetais,
mantendo livres 3cm no alto do vidro e amarrando um pano de
fralda, gaze ou filó para tampar. Deixe 48 horas à temperatura
ambiente. Tire qualquer nata ou mofo que aparecer, tampe bem
e guarde na geladeira. Já pode começar a comer.

Ideal para cebolas inteiras, rabanetes, pepinos e cenouras
pequenos, nabos, brócolis, couve-flor.

em água, sal & soro
O sal ativa e controla a fermentação, o ácido lático do soro do leite também.
A combinação é um sucesso.

medidas de água
Variam. O líquido deve cobrir os sólidos e ultrapassar 2 dedos.

medidas básicas de vegetais, sal & soro
para 1/2 quilo de vegetais,
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada

repolho: chucrute
500g repolho
2 colheres/sopa rasas de sal marinho
1 colher/sopa sementes de cominho

Corte bem fininho o repolho; coloque com o sal numa vasilha
resistente e soque com um pilão de madeira durante dez minutos
ou mais, até juntar um caldo suficiente para cobri-lo bem.

Transfira tudo para um pote de boca larga, junte uma colher de
sopa rasa de sementes de cominho, misture e aperte tudo para o
fundo, de modo que o repolho fique sempre coberto por dois
dedos de caldo. Tampe o vidro, deixe três dias na temperatura
ambiente e então guarde na geladeira. Já pode ser comido, mas
melhora à medida que amadurece.

Importante: manter vazio um espaço de dois dedos no alto do
vidro para o gás da fermentação. Caso apareça espuma, ou mofo,
simplesmente retire. Eles não comprometem a conserva.
 
nabo daikon
500g de nabo daikon ralado
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada

Repita o método do chucrute.

O nabo daikon ajuda muito a digestão e é comum em casas e
restaurantes japoneses, preparado de vários modos. Diurético e
descongestionante, sua conserva é especialmente rica em
lactobacilos.
 
gengibre
500g de gengibre
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada
água sem cloro, aquecida até quase ferver, já fria

Descasque e corte o gengibre em fatias finíssimas; repita o
método de socar até juntar caldo. Coloque no pote, aperte,
cubra com a mistura de água, soro e sal. Se for necessário,
acrescente água. Deixe 3 dias à temperatura ambiente, tampe e
guarde na geladeira.

Este gengibre não é doce como o do restaurante japonês. 

cenoura e gengibre
4 xícaras de cenoura ralada
1 colher/sopa de gengibre fresco ralado
3 colheres (sopa) rasas de sal marinho
O procedimento é o mesmo da conserva de gengibre.

couve-chinesa
1k de couve-chinesa
4 colheres (sopa) rasas de sal marinho (40g)

Lave e escorra bem as folhas, polvilhe com sal e coloque sobre
elas uma tábua com um peso de 3k ou mais, para que soltem seu
sumo. Quando estiverem submersas, pode retirar o peso e transferir
para um vidro, com o líquido, enrolando as folhas em charutinhos.

Em três dias a conserva fica pronta. Prove; lave antes de servir se
achar muito salgada.

kimchi
1 repolho de tamanho médio
250g de nabo daikon
1 colher/sopa rasa de sal
3 xícaras de água sem cloro
1 colheres (sopa) de gengibre fresco bem picadinho
1 dente de alho também picadinho
1 cebola picada
1 colher/chá de pimenta vermelha picadinha
1 colher/chá de mel

Corte o repolho em quadrados de 4cm, fatie o daikon e misture
ambos com sal e água numa vasilha grande, onde vão repousar
durante a noite. De manhã remova repolho e daikon e coloque
num pote de louça ou vidro, de boca larga; junte os outros
ingredientes; cubra com o líquido até chegar a dois dedos da
borda. Tampe com um pano e deixe fermentar de três a sete dias.
Guarde na geladeira em vidros pequenos, bem fechados. Esta
receita é tradicional das Coreias do Norte e do Sul, onde se ensina
a não perturbar as conservas sem necessidade.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

conservas de frutas
 
limão com canela
400g de limão orgânico
3 pedaços de canela em pau
100ml de sumo de limão
3 colheres (sopa) rasas de sal marinho
2 colheres (sopa) de soro de leite caseiro

Corte os limões em fatias bem finas e depois em quartos. Coloque
no pote de boca larga com o sal e a canela e soque um pouco
para liberar o caldo. Acrescente o sumo de limão misturado ao
soro e cubra com ele os limões de modo que o líquido ultrapasse
em dois dedos os sólidos.

Tampe bem e deixe à temperatura ambiente por 2 semanas, virando
o pote todos os dias. Guarde na geladeira e descarte a polpa
quando for usar.
 
umeboshi / ameixa salgada japonesa
É um rápido e poderoso regularizador do pH do tubo digestivo. A
fruta é a umê (Prunus mume) ainda verde. Riquíssima em ácido
cítrico, deve ficar no sal por um ano e meio, geralmente com
folhas de shissô (Perilla frutescens), para se tornar benéfica.

Quando comprar, guarde durante um ano para ter certeza de sua
eficácia medicinal. E despreze serenamente a data de validade.
Umeboshi, shoyu e missô, quanto mais velhos, melhores.

fazendo umeboshi em casa
4k de umê verde
600g de sal marinho (15%)
1 balde plástico
1 prato que se encaixe bem no balde
1 pano para cobrir
1 peso de 8 quilos

Coloque no balde, lavado e enxugado, a umê verde – limpa, sem
o cabo e sem a tampinha – e bem seca, porque água estraga
conservas. O sal por cima. Então a outra bacia, furada, encaixada
na primeira. Aí um pano cobrindo as duas, até porque ficou um
vão entre uma e outra, e o peso por cima de tudo, que é para as
ameixas soltarem seu caldo.

Depois de um mês aparecem no mercado as folhas de shissô
vermelho. Então, compre

4 maços de shissô vermelho e
2 colheres/sopa de sal.

Lave as folhas de shissô, polvilhe o sal e esprema com as mãos.
Dispense a água vermelha que sai e coloque as folhas, com as
umês e seu caldo salgado, em potes grandes de boca larga. São
as folhas de shissô que dão a cor avermelhada à umê.
limãoboshi e tamarindoboshi

Com limões orgânicos e tamarindos, igualmente ricos em ácido
cítrico, se faz o mesmo tipo de conserva, com efeitos semelhantes
ao da umeboshi.
 
banchá com umeboshi
Faça o banchá fervendo as folhas por três a cinco minutos e deixe
em infusão mais dez. Desmanche uma umeboshi na caneca, sirva
o banchá por cima e tome bem quente quando tiver algum
desconforto digestivo, indisposição, resfriado, dor de cabeça.

Para uma desintoxicação leve e rápida, use banchá com umeboshi
à noite e ao levantar durante 3 dias.
 
umeboshi carbonizada
O carvão pode ser um grande companheiro no tratamento da
cândida, por absorver as toxinas predatórias que ela produz.

Ajuda a conter o crescimento dos fungos e a minorar a sensação
de mal-estar quando se vão.

Umeboshi carbonizada – no forno, na frigideira ou na chama
do fogão, espetada num garfo – é como carvão vegetal ativado,
com excelentes propriedades desintoxicantes. Toma-se o
carvãozinho de umê, bem socado até virar pó, com uma xícara
de banchá quentinho ou só água quente.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

bebidas vegetais lactofermentadas
O tempo de fermentação das bebidas lactofermentadas pode
variar de 48 a 72 horas, dependendo da temperatura ambiente
e do grau de acidez desejado. Sabe-se que fermentou quando
começam a vir pequenas borbulhas à superfície. Daí em diante
ficarão cada vez mais ácidas se o frio não impedir.
 
rejuvelac de trigo e outros grãos
250g de trigo orgânico em grão
ou qualquer outro cereal orgânico
água filtrada (sem cloro)
1 vidro de boca larga de 1 litro, com tampa
1 pedaço de filó para cobrir a boca do vidro
1 elástico para prender o filó

Lave e deixe os grãos de molho na água durante a noite, com o
filó na boca do vidro, sem tampa.

De manhã lave duas ou trê vezes e coloque o vidro de boca para
baixo para escoar toda a água.

O filó impede a saída dos grãos e eles vão começar lentamente a
brotar. Lave duas ou três vezes por dia.

Depois de 48 horas, quando já estiverem aparecendo os germes,
lave bem e complete o vidro com água filtrada, fechando com o filó.

Deixe à temperatura ambiente por 48 horas e coe. O líquido, um
tanto amarelado e opaco, com sabor suave e levemente ácido, é
o rejuvelac. Guarde em vidro tampado na geladeira.

Os grãos ainda podem mais dois litros sucessivos de rejuvelac,
cada qual fermentando por 24 horas à temperatura ambiente.
 
suco de repolho fermentado
1/4 de repolho orgânico
1 colher de chá de sal
1/4 de xícara de soro de coalhada ou iogurte
água filtrada sem cloro
1 vidro de 1 litro com boca larga

Corte o repolho bem fininho, soque um pouco com pilão de
madeira só até ele soltar algum sumo e coloque tudo no vidro
com o sal, o soro e a água filtrada.

Feche o vidro com a tampa e deixe 48 a 72 horas à temperatura
ambiente, até ver que fermentou. Depois, geladeira.

Deste é para ir tomando copinhos ao longo do dia.

sobre o repolho
Muito usado em medicina popular, externa e internamente.
Rico em vitamina C e enxofre, limpa as mucosas intestinais e evita
uma infinidade de problemas infecciosos e inflamatórios.

kvass de beterraba
2 beterrabas médias ou 4 pequenas, orgânicas
1 colher de chá de sal
1/4 de xícara de soro de coalhada ou iogurte
água filtrada sem cloro
1 vidro de 1 litro com boca larga
Cortar as barbelas da beterraba, escovar debaixo da torneira e
picar com faca (não ralar nem usar o processador).
Colocar as beterrabas picadas, o soro e o sal no vidro e completar
com água filtrada.
Mexer, tampar bem e manter à temperatura ambiente por 48 a
72 horas; então guardar na geladeira.
Coar e servir. Tomar 2 xícaras por dia, antes das refeições.
 
sobre esta receita
Estava pesquisando sobre gordura & candidíase no livro Eat
fat, lose fat, de Mary Enig e Sally Fallon, da Weston A. Price
Foundation, quando me deparei com o seguinte texto: “Christine
sofreu com candidíase muitos anos (...) e começou a tomar o
kvass de beterraba, uma xícara antes de cada refeição. Os resultados
foram mágicos. Os sintomas de cândida desapareceram
imediatamente e a fadiga também.”

Kvass é uma bebida fermentada de origem russa, geralmente feita
a partir de um pedaço de pão seco, ou da própria massa crua
do pão. Refresca, alimenta e é muito popular. Tem sido amplamente
usado na Europa em terapias contra o câncer. Depoimentos
indicam que é excelente contra fadiga crônica, sensibilidade a
produtos químicos, alergias e problemas digestivos.

O kvass de beterraba tem “extraordinários poderes curativos:
grande tônico do sangue, promove a regularidade intestinal,
ajuda a digestão, limpa o fígado, equilibra o pH do sangue e é
um bom tratamento para pedras nos rins”.

É gostoso, levemente salgado, e a cor é linda. A sensação de
bem-estar é imediata.
sobre a beterraba

É muito rica em folacina, potássio, magnésio e enxofre.

A folacina, ou ácido fólico, faz parte do complexo B e é a vitamina
antissenil por excelência. Faz diferença em unhas, cabelos,
medula óssea, sistema imunológico, células vermelhas e algumas
membranas mucosas que dependem diretamente dela.

O potássio contribui para a transmissão dos impulsos nervosos,
o controle das contrações musculares do esqueleto e a normalidade
da pressão sanguínea. Interage com o sódio (no caso o
sal do kvass) no equilíbrio dos fluidos corporais e participa do
metabolismo de carboidratos e proteínas. Também é antissenil.

O magnésio trabalha com o fósforo para fixar o cálcio nos ossos
e nos dentes e permite que toda a musculatura do corpo
relaxe após uma contração. Regula o aproveitamento de diversas
vitaminas, inclusive do complexo B.

O enxofre é antibiótico natural, desintoxicante, antioxidante e
radioprotetor. Limita e desativa isótopos radiativos e metais pesados
como cádmio, chumbo e mercúrio. Desintoxica fígado e rins.

água benta de feijão-fradinho
Receita simplérrima, enviada por Simone Campello ao blog Deixa
sair. Melhora muito os sintomas genitais da candidíase nos primeiros dias.
Ela diz que ficou curada para sempre, mesmo bebendo cerveja.

1/2 copo de feijão-fradinho
água filtrada para completar

Cobrir e deixar de molho à noite.

Coar e tomar de manhã, em jejum, por no mínimo quinze dias.

A UFPE, Universidade Federal de Pernambuco, já fez todos os
estudos genéticos no fradinho, também chamado feijão-caupi,
e constatou que ele dá um ótimo remédio de uso externo,
provavelmente em spray, para “afecções ginecológicas” .

45 comentários:

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Sonia é um ser mui generoso, posta trechos dos seus livro, qdo os mesmos são sua fonte de renda.
Mil vezes obrigada, amamos vc :-)

Sonia Hirsch disse...

Ah, Carol, mas o conhecimento não me pertence, é acervo da humanidade. A mim é dado ganhar o pão de cada dia usando-o respeitosamente e acrescentando aqui e ali o que vou colhendo nos campos do saber, mas de meu, só mesmo a vontade e o texto que brota... Beijos, bom domingo!

Kenia Bahr! disse...

Sonia, obrigada também pelo texto! Generosidade total sua, sim.

Como tenho o livro Candidíase, a praga, estou fazendo o kvass há um tempinho. Uma dúvida que tive desde o início é quanto aos tamanho de corte das beterrabas. Você costuma cortar como? Eu corto em cubinhos de cerca de 1cm, será assim mesmo?

Um boa notícia: fiz a segunda fermentação das beterrabas, completando o vidro com água nova, após coar o primeiro kvass. Coloquei mais uma colher rasa de sal (bem rasa) e mais 1/4 xíc. de soro de iogurt (biorich). Após cerca de 60 horas estava perfeito, o gosto muito similar ao da primeira fermentação e a sensação ao beber também. :-)

Bjs

Kenia Bahr! disse...

Nossa, quanto erro... sorry!

Mr Brumn disse...

Estou fazendo o "pão possível".

Demorou a fermentação, pq tava com água demais. Mas ontem de noite já tava bem inchadão. Eu tenho muita experiência com massas fermentadas, mas num usei a própria massa para fermentar.

Vamos ver como vai o moço hj de noite qd chegar em casa...

Cláudia Lanna disse...

Sônia, vc conhece o kombucha, chá preto fermentado? Uso a mais de 10 anos e faz muito bem a saúde.

Sonia Hirsch disse...

Conheço de longe, Cláudia. Sei que é uma cultura muito antiga, que passa de mão em mão como o kefir. A coisa gelatinosa que cresce sem parar é um conjunto de fungos e bactérias formando um *biofilme*. Mudou sua vida de alguma forma? Um abraço!

Leonardo disse...

Poxa, fiz o Kvass de Beterraba, mas, algo saiu errado, depois de umas 52 horas, botei na geladeira e em seguida, bebi; tive uma dor de barriga, acho que estragou. Não sei, aqui tá meio quente, acho que foi isso. A nata proveniente do iogurte parecia estragada, ainda assim bebi e me dei mal, vou tentar fazer novamente.

Anônimo disse...

Mudando o foco. E própolis, Sonia? Pode?

Sonia Hirsch disse...

Leonardo, você quis mesmo dizer a nata ou era o soro do iogurte? Bom, fazer conservas é assim mesmo, a gente aprende errando, jogando fora... E o clima sem dúvida interfere muito.

Própolis: gosto para uso externo, quando há necessidade de um antisséptico, mas prefiro óleo de copaíba. Ou seria pólen? Experimente para ver se cai bem. Um abraço!

Leonardo disse...

Isso o soro de iogurte, ando fazendo iogurte natural; aqui temos leite da fazenda na porta, e muito. Tô até querendo comprar uma iogurteira elétrica, suponho que seja mais eficiente; o que precisa é o preço do BioRich baixar, o preço ainda é meio salgadinho. A conserva eu continuarue tentando, segunda faço novamente.
Outro caro é o óleo de coco, engraçado que eu comentava para amigos e conhecimentos os benefícios do óleo - que pra mim é o mais eficiente antifungicos de todos esses métodos e receitas que você ensina, pelo menos é o q mais funciona comigo - ninguém botava fé, essa semana a globo resolveu falar todos lembraram de mim e todos querem usar. É coisa viu! Tomara que o preço cai, mais o azeite de oliva era assim também, só tinha uma marca e era carissímo.

Leonardo disse...

Minhas pesquisas na net*

Plantas medicinais têm sido usadas como tratamento alternativo e coadjuvante de várias doenças humanas. O objetivo foi avaliar in vitro a atividade antifúngica de extratos naturais (própolis, mamona, sálvia e calêndula) sobre 20 cepas de Candida albicans isoladas da cavidade bucal. Para determinação da concentração fungicida mínima (CFM), foram realizadas diluições seriadas dos extratos e suspensões padronizadas de cada cepa de C. albicans (106 céls/mL). Em placas de 24 poços, alíquotas de 1 mL de cada diluição dos extratos foram distribuídas e contaminadas com 0,1 mL de uma suspensão de Candida. As placas foram incubadas (37ºC/24 h) e, a seguir, amostras foram semeadas em duplicata em ágar Sabouraud (37ºC/48 h). Os resultados demonstraram que o extrato glicólico de própolis apresentou capacidade fungicida para todas as cepas de C. albicans, com CFM de 3,12% para 90% das cepas. O extrato glicólico de sálvia apresentou capacidade fungicida para 80% das cepas, com CFM variando de 5 a 50%. O extrato glicólico de calêndula demonstrou atividade fungicida apenas para 10% das cepas. O extrato da mamona não apresentou atividade fungicida para nenhuma cepa. Concluiu-se que o extrato de própolis foi o mais efetivo, apresentando atividade antifúngica para todas as cepas de C. albicans avaliadas. (AU)

Fonte:http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=BBO&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=29996&indexSearch=ID

Guia disse...

Olá Sônia, meu nome é Maria da Guia, tenho 42 anos, 1 filho, e achei seu site procurando informações sobre a Candidíase. Fiquei feliz em poder contar com a sua ajuda. Vou começar a usar o oleo de coco hoje mesmo e também vou fazer a água de feijão fradinho. Estou com candidíase persistente, mas tenho certeza, com fé em Deus e nas suas dicas, que vou conseguir controlar essa PRAGA. Abraços.

Theresa Young disse...

Sonia, adorei seu blog. São receitas fáceis, mas a maioria da população, que tem de ficar a mercê da medicação alopática. Parabéns pelo seu trabalho. Tenho uma dúvida, a água do feijão fradinho tem de trocada ou é a mesma que a gente por 15 dias?

Sonia Hirsch disse...

Oi, Theresa, todo dia você faz de novo e bebe a água. Feliz 2012!

Anônimo disse...

Sônia, acabei de ver um videozinho com Douglas Graham (conhece ele?)
no qual ele diz que a candida salva vidas rsrsrsrs
Sério, ele não fala exatamente isso, mas algo bem parecido.
Ele explica como a gordura aumenta o açucar no sangue e faz com que a candida se prolifere.

Anônimo disse...

Se interessar está aqui ó:

http://www.youtube.com/watch?v=p--YWErl_5E

Agoooora eu entendi pq vc falava tanto das gorduras do mal.
:)

PS. O óleo de coco ainda pode, né?

Beijo e feliz ano novo!

Sonia Hirsch disse...

Desculpe, mas achei a fala dele muito inconsistente. E ele diz literalmente que a cândida salva vidas. Talvez a pretexto de ser entendido por um público leigo, simplificou a ponto de excluir a informação de que a cândida é um fungo que vai pegando tudo o que encontra pela frente - açúcar, células mortas, células vivas. Isso absolutamente não salva vidas. Ou ele está mal informado ou o vídeo foi mal editado. As cândidas comeriam o açúcar todo e se evaporariam? Doce ilusão. Não é assim que funciona.

Quanto às gorduras, repare que ele não se refere à qualidade e passa a impressão de que devemos evitar todas, o que não reflete as nossas necessidades naturais. Óleo virgem de coco, azeite de oliva, manteiga, ovos, gordura animal: use com bom senso e seja feliz. Um abraço!

Anônimo disse...

Eu pensei isso tb, que foi mal editado e que ele simplificou demais (ou explicou melhor e cortaram).
Mas para mim valeu, pq, afinal sou muito bem informada né? rsrsrs
Serviu como "complemento" ao que aprendi aqui, lá no Deixa e nos seus livros.
O que eu mais gostei foi a parte da bolinhas de gude rsrsrs

Beijão, Sônia

PS. Se vc soubesse o qto minha vida mudou por sua causa. Me emociono ao escrever isso pq é verdade!
Só Deus mesmo para te retribuir.
Obrigada!!!
:)

Sonia Hirsch disse...

"Possam todos os seres ter a felicidade e suas causas, ser livres do sofrimento e de suas causas, jamais se separar da grande felicidade que está além do sofrimento e viver em equilíbrio, livres do apego e da aversão."

(As quatro meditações ilimitadas, do budismo tibetano.)

Wesley disse...

Estou pensando em comprar um ou outro complemento que me pareceu interessante, já tomo probiótico, o GR-8 Dophilus da Now Foods, comprado na Iherb.com, porém achei um complemento também da Now Foods, Candida Clear

http://www.iherb.com/Now-Foods-Candida-Clear-Intestinal-Health-180-Vcaps/15206?at=0

e outro chamado Zand Candida Quick Cleanse na Vitacost.com

http://www.vitacost.com/Zand-Candida-Quick-Cleanse-Multi-Support-Formula#ProductDetails

Fiquei na dúvida em qual escolher, os dois possuem comentários positivos, porém possuem diferenças, o Zand me pareceu mais completo, ambos possuem Acido Caprilico e Óleo de Oregano, porém o Candida Clear possui em quantidades maiores.

Bom a dúvida é, aliados a uma alimentação melhor seriam realmente úteis ou pura promessas, o que você acha? Caso seja recomendado, poderia dar uma olhada nos links e nas composições e indicar a melhor opção?

Muito obrigado por todas as informações e atenção ao assunto, é muito chato, desanimador, constrangedor as vezes, enfim é muito difícil lidar com isso.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Wesley, acho que a única regra é experimentar e observar. A eficácia pode depender das condições internas. Se houver parasitose, haverá mais cândida. Já tratou dessa parte? Um abraço!

Wesley disse...

Olá Sonia, na verdade não tinha me passado essa questão da parasitose pela cabeça, agora que você mencionou, procurei ler a respeito, a princípio não acredito ser um dos fatores, na verdade acredito ter descoberto a causa raiz que favorece o problema em mim, posso estar enganado obviamente, mas no início do ano passado tive o problema e fui ao urologista e é aquela coisa, pomada e comprimido, procurando mais a respeito descobri que estava associado a alimentação, de fato consumia poucas coisas saudáveis e muito doce, desde então cortei bastante o açúcar e o que era de farinha normal substitui por integral, além de passar a comer mais verduras, legumes e frutas, aparentemente deu certo, fiquei de abril/maio até Dezembro sem problemas, mas aí em Dezembro cai na besteira de comer sorvete e acabei exagerando, acho que comi uns 3 litro e meio em menos de 2 semanas, não deu outra, apareceram as malditas manchas vermelhas, após 1 semana fazendo tratamento mais natural possível, melhorou, porém a pele ficou um pouco ressecada e nas primeiras relações sexuais, com minha esposa, a pele se rompeu e fez um pequeno corte, mais uns 2 ou 3 dias e estava ok, passei uma semana sem problemas e logo depois inchou novamente a pele abaixo da glande e lá se vai mais uma semana de tratamento, só que dessa vez persistiu e demorou um pouco mais, e então melhorou, mas novamente a pele estava fraca e no banho acabou se rompendo novamente e mais um pequeno corte, o corte já melhorou, mas inchou tudo novamente. Enfim, dessa vez parece realmente insistente, acabei ficando muito relutante em ir ao médico pelo fato de não darem uma atenção real, olham, passam qualquer coisa e te mandam embora, mas confesso que dessa vez fiquei um pouco assustado pela demora em ficar bom, tenho tomado Chá de Camomila, oleo de alho e de coco, inclusive fazendo uso tópico deles, além de probióticos e multivitaminico, vou ficar nessa mais uns 2 ou 3 dias, se não apresentar melhora vou no médico e tentar exigir algum tipo de exame, até porque várias coisas dão sintomas semelhantes, as vezes estou com outra coisa e pensando que se trata da candidiase, felizmente os únicos sintomas até então são inchaço, na maior parte desse tempo sem nenhuma dor, porém dessa última vez passou a arder um pouco quando encosto. A glande está ok, não tem absolutamente nada, só mesmo abaixo dela.

Kenia Bahr! disse...

Tenho feito várias conservinhas lactofermentadas, que tem me salvado a vida. O kvass de beterraba, me restaura instantaneamente quando tenho que fazer uma caminhada longa, por exemplo, debaixo de sol. Levo em uma garrafinha térmica e alimenta muito.
Fiz a conserva com a casca branca da melancia e achei o gosto muito bom, parece uma espécie de conserva de pepino. Como com a comida, normal. E, tcharammm, fizemos umeboshi em casa! Maravilhosa, divina! Só não tive o shisso pra colocar, mas ficou ótima assim mesmo. Curtiu um ano e meio mais ou menos, foi feita meio de teste, mas funcionou! O gosto é excelente, ficou super alcalina, dá pra sentir isso quando dissolvo no chá pra tomar. Tô curtindo essas de conservas e tem me feito muito bem!

Sonia Hirsch disse...

Eba eba, oba oba! Adorei saber, Kenia. Nada como colocar as informações em prática, né? Abração!

Kenia Bahr! disse...

Ô, se sim, Sonia! Tem que ter disposição e coragem! Tou tão chique fazendo conservas que comprei 48 potes de vidro de 500g e estou presenteando todo mundo! O seu vou entregar em mãos um dia...

Beijo!

Sonia Hirsch disse...

Oba, mais ebas e obas!!! Beijo!

Anônimo disse...

Boa tarde Sonia.

Sei que a senhora sempre diz que cada corpo reage a dieta da candidíase de uma forma, mas quando a senhora fez, passou quanto tempo na radical e suave?

Obrigada.

Anônimo disse...

Boa tarde Sonia.

Sei que a senhora sempre diz que cada corpo reage a dieta da candidíase de uma forma, mas quando a senhora fez, passou quanto tempo na radical e suave?

Obrigada.

Sonia Hirsch disse...

Passei dois meses na radical, ou três, não me lembro bem. E fiquei entre a suave e a esperta, voltando às vezes para a radical, até agora, 17 anos depois. Não tem como voltar a comer (e beber) muita bobagem sem depois dar um passinho pra trás...

Anônimo disse...

Obrigada pela resposta Sonia.
Abraços!

Fernanda disse...

ô Sonia, falando nos potes das conservas. Pode ser aquele de vidro com tampa hermética? Fiquei sem saber se para fazer todas as receitas de conservas e probioticos o vidro pode ficar fechadão assim, sem respirar...

Sonia Hirsch disse...

Claro. Bem tampado quer dizer... bem tampado! Não entrando ar, o ambiente dentro do vidro se mantém conservado. ;-)

Anônimo disse...

Olá Sonia, já comprei o seu livro há muito tempo, mas ainda não fiz a dieta. Eu tenho candidiase persistente há anos e está me incomodando cada vez mais. No momento eu e o maridão estamos com uma crise de inchaço e coceira que não dá nem para pensar em ter relaçoes. E normalmente ele fica todo cortado quando temos algo. Hoje vou colocar o feijão fradinho de molho e tentar a receita de beber a água, tem que trocar o feijão todos os dias, ou dá para usar mais de uma vez trocando somente a água??
Grata

Camila disse...

Olá, eu queria saber se existem alimentos que ajudam na dieta e também ajuda contra alergias. Estou pesquisando na internet, mas não pode encontrar um blog que eu responder a estas perguntas. Na próxima semana tenho a consulta com um especialista em alergia e imunologia, porque eu tenho comichão em todo o corpo, mas queria saber se eu poderia fazer alguma coisa enquanto. Obrigado

Anônimo disse...

Ola Sonia, Tenho seu livro e fiz a dieta como vc disse. Foi ótimo, depois de muitos médicos e remédios, consegui controlar por um bom tempo.Só que agora ela voltou e quando começei a fazer novamente tive uma novidade, meu intestino apesar de funcionar bem, está sempre inchado. Parece q estou grávida. Vc sabe o q posso fazer?
Obrigada.

Sonia Hirsch disse...

"O preço da liberdade é a eterna vigilância." Hóspedes intestinais e gases sempre voltarão, embora com o tempo a gente desenvolva uma habilidade melhor para manter o controle. Distensão abdominal pode falar do fígado, pode falar de amebas, certamente revela inflamação; é bom verificar o que é e fazer uma dietinha. Um abraço!

Anônimo disse...

oi sonia, eu tenho candidiase a 2 anos mas nunca me curei, sinto so uma ardencia na vagina o dia todo sem parar, eu nao tenho corrimento, e nem coçar, ja fiz exames 6 vezes e sempre da candidiase. o que pode esta por traz disso tudo, lir seu blog gostei muito vou comprar seu livro. meu sono e ruim, ando inchada com a cabeça doendo, isso e sintomas da candidiase. me4 ajude beijoss

Sonia Hirsch disse...

Amiga, o que eu tenho para ajudar é o que está publicado. Não precisa ter corrimento para ter candidíase. Olho vivo! Um abraço!

Anônimo disse...

Sonia, estou fazendo o iogurte com os pacotinhos da Bio Rich. As vezes, depois das 6h indicada na embalagem o iogurte ainda não está tão cremoso. Você disse que as iogurteras indicam 8h e que não é suficiente. Eu posso deixar fora da geladeira 24h o iogurte feito a partir do fermento da bio rich?

abraço,

Sonia Hirsch disse...

Muitos defendem isso, que a fermentação tem que ser de 24 horas. Se o clima for quente pode passar do ponto. O jeito é ir experimentando.

Anônimo disse...

Hum... Sim, já vi que tem diferença dependendo de onde estou e da temperatura ambiente.

Mas a textura tem que ser como a do iogurte industrializado? O meu fica um creme cheio de natinhas...

Sonia Hirsch disse...

A consistência pode variar, mas o sabor tem que ser ácido na medida certa.

Sonia Hirsch disse...

A consistência pode variar, mas o sabor tem que ser ácido na medida certa. E geralmente o soro se separa após a devida fermentação.

Anônimo disse...

consegui chegar num tempo certo. Acho que não estava fazendo corretamente. Deixando umas 12 horas o soro se separa e a consistência fica bem mais uniforme e grossa. Obrigada